terça-feira, 7 de julho de 2009

Michael Joseph Jackson

E como não poderia passar batido... Muitas das pessoas ao redor do "mundo", em "luto", não foram fãs assíduas de Michael Joseph Jackson, porém, esta é a "energia" que move o mundo há quase duas semanas (07/07/2009)! E a mídia aponta com o seu real e gigantesco poder!
Eu não fui fã! Você foi fã? Ah, muitos se tornaram, sem dúvida, nos últimos dias que seguiram. Quando muito estive ali desde a infância a acompanhar alguns vídeo-clips e gravações.
Há quem descorde - e muitos descordam - do ser humano de elevada e extrema "luz" que foi... é... o homem Michael Joseph Jackson. Um ser humano comum transformado num mito, uma lenda... E, realmente, não mais que um ser humano comum, que foi transformado e exacerbado em algo "além". E mentiras ou verdades, dúvidas, polêmicas, questões não esclarecidas, boatos, fizeram dele um "Deus", alguém diferente de nós.
Sua "energia vital", sua fortuna, seu trabalho, seu talento, sua vida, sua família, seu espírito, seu "eu", sua identidade, seu íntimo, foram todos explorados, extorquidos! E isto, só fazem, apenas fazem, com pessoas de uma elevada e extrema "luz"! Porque ninguém "suga" nada de ninguém que não tenha sobre si um bem, alguma "riqueza" que possa ser literalmente tomada! Porém, isto não significa que Michael Joseph Jackson não foi um homem realizado, feliz! Ele foi! Claro que ele foi feliz! Realizado! Um verdadeiro Deus?! Não mais ou menos que eu e você.
E, incrível perceber como "pessoas" - daqui e além... reencarnados, anjos, demônios, espíritos de luz ou obssessores - juntam-se, seguindo um outro ser de "luz", seja para brilhar com ela, fazer parte dela ou sugar dela.
E como provar a sua verdade diante de uma grande acusação que apontam para o seu rosto? Porque provas sempre existem, para encriminar e para livrar. E será a sua palavra contra outras palavras. Será a sua prova contra outras provas. E talvez você seja mesmo culpado, e você sabe disso, ah, você sabe disso e eu também sei! Mas você não cometeu isto! Mas talvez você tenha tido motivos para ser realmente o culpado ou talvez você seja um ser sem nenhuma índole, sem nenhum caráter e mereça mesmo ser apedrejado, morrer e apodrecer diante dos olhos que te julgarão, condenarão, punirão e executarão a sua sentença!
E outras poucas pessoas se lembraram de olhar para os seus olhos... Porque estes jamais mentiram, eles nunca mentiram, nem que você quisesse ou tenha tentado mentir através deles, eles não mentiram!

Nos teus olhos habita a tua verdade! E ainda que aos olhos do mundo você tenha que suportar terríveis dores, sejam físicas, emocionais ou psíquicas. Suporte-as! Diante dos olhos do mundo você deverá - sempre - suportar as tuas dores todas e por maiores que sejam você deve estar lá, porque se não, além de "sugado" você será também "devorado", você será "destruído" e, provavelmente, nem pó vai restar de você. Mas se você estiver lá, se você estiver lá, sempre estiver lá, aos olhos do mundo e aos olhos dos "teus" você sempre estará lá e, mesmo que em cinzas, a tua poeira, será a tua glória e de alguma forma sempre será a tua maior verdade.
E qual é o teu lugar neste mundo? Não importa se o teu destino e sonhos se cumprirão sobre os flashs de um palco ou sob o anonimato de um escritório...
Onde houver amor, eu estarei lá...Apenas chame meu nome e eu estarei lá...E eu estarei lá para te confortar,Para construir meu mundo de sonhos ao seu redor,Eu estarei lá para te proteger,Com um amor altruísta eu respeitarei você!Apenas chame meu nome e eu estarei lá...Eu estarei lá, eu estarei lá,Apenas chame meu nome, eu estarei lá...Sempre que você precisar de mim, eu estarei lá...


Michael Joseph Jackson,





sábado, 4 de julho de 2009

Anjos...

E das duas hierarquias de Anjos:Mais abaixo, à esquerda, diante de um abismo;Mais especificamente um penhasco;Era dia, nebuloso, acinzentado, meio frio.Todos eles, homens, de porte e altura mediana a alta;De aparência entre trinta e quarenta anos de idade;Vestidos de terno e sapatos preto, camisa branca e gravata;Com cabelo semi-longo, ondulado ou liso, castanho ou negro;De pele clara a branca.De barba feita, rosto liso ou uma barba rala e aparada.Todos eles mantinham um olhar fixo à frente;Estavam um ao lado do outro, com uma pequena distância os separando;Rijos, firmes e eretos... Imóveis;Com um pé apoiado mais à frente e outro mais para trás.Estes, tinham o poder de interver entre os humanos;Estabelecer um contato direto com homens.Mais acima, à direita, um céu;Um céu claro, colorido por um azul e branco;Todo ele cheio, povoado por criaturas belíssimas.Eram anjos, de porte pequeno a mediano;De pele branca, olhos claros e cabelo claro;De um castanho dourado, ruivo ao louro;Ondulado, à altura do ombro.Vestiam batas, vestidos, de cor branca;Longo, à altura do tornozelo.Estavam todos descalços... levitando;Se mantinham um pouco acima do chão;Mas não havia chão... Levitavam, voavam...Todos eles tinham asas de um branco...Não era possível definir o seu sexo ou a sua idade;Alguns mais pareciam do sexo masculino, mas não era possível se ter certeza;De nenhum deles era possível se definir;Eram todos eles jovens, muito jovens;Ao mesmo tempo, poderiam ser tomados sob algumas óticas;Se pareciam com crianças, adolescentes e adultos muito jovens.Levitavam de um canto ao outro;Estavam muito próximos;E neste céu não se via limites...Mas haviam tantos deles que uns ficavam muito próximos aos outros.Tinham uma visão muito ampla;Podiam olhar para baixo, para a frente e para o lado;Eles viam os homens vestidos de preto, mais abaixo.De repente, um dos homens, cai do penhasco, direto ao abismo;Que parece não ter fim;E estava encoberto por uma leve e branca fumaça...Comum aos dias nebulosos;Mais ao fundo tudo era cinzento...Até que se ia perdendo a visão do que poderia haver além, lá embaixo.Não foi possível saber se o homem pulou ou se caiu...E foi caindo com as costas para baixo e seu peito para cima;Vi bem, embora de relance, vi muito bem o seu rosto.Vi os seus olhos, de um castanho escuro.Vi também sua barba e sua pele branca.Vi o seu cabelo, de um castanho escuro e de um leve ondulado.Nos seus olhos havia terror!O terror da queda...Um dos anjos desce em um vôo ao seu encontro!O anjo agarra o homem, livrando-o da queda...Volta-se mais para cima e ampara o homem no chão;Atrás do penhasco, coloca-o deitado, deixando-o se recompor do susto.E o homem fica ali deitado por um tempo, como que voltando a si e refletindo.E os outros homens voltavam-se para ele, ao redor dele.