quinta-feira, 14 de maio de 2009

Vampiro?

A história da literatura, do cinema, da mídia e notíciários não relatou com mais força ao longo do tempo nenhum outro tema, se não o "mito vampiro", que a maioria não duvida, mas que também não prova.
Que o vampiro psíquico existe, ah existe! Inconsciente! Sempre! Ou seja, o cara não está lá para "sou vampiro e vou sugar sua energia". Até existem as exceções (dos tremendos babacas que se auto-denominam)! Porém, a realidade é outra.
E as entidades ou "desencarnados" vulgarmente tratados como "encostos": Está aí um bom exemplo do vampirismo.
Até existem as técnicas "mentais" de se manipular pessoas, situações ou resultados via pensamentos, viagens astrais e até (arriscaria) e por que não? ... Os também vulgarmente conhecidos feitiços (ou seja lá o nome que se dê), porque não se deixa desta forma de se "drenar" energia de um lugar/coisa para se depositar num outro.
Mas e o bendito do vampiro que o povo jura de pés juntos já ter visto? E ainda, mais especificamente, as reais provas que temos documentadas por aí, em todo o mundo de casos, aliás, muito "bizarros"? E o maldito lobisomem? Ah, este sim é bem capaz de se provar, afinal os relatos estão aqui presentes mesmo nas grandes metrópoles e, não só os relatos como as provas vivas.
Ou seja, o alimento "energia" no campo mental/espiritual e o alimento "sangue" no plano físico. Esta junção ou comparação faz sentido? Boiei (hahah)?
E a história no formato da estorinha do Drácula? Um vampiro poderia mesmo vagar por eras e eras como um espírito? ... Sendo na verdade um morto-vivo: Mas o que sustenta aquele corpo? Uma alma? A mesma alma que teima em não deixar aquele corpo? E que continua as eras...

Nenhum comentário: