sábado, 18 de julho de 2015

"me poda"

 "me poda, me poda por inteiro; me toma pelo tronco e me arranca pelas raízes; me retira totalmente da terra; me desfinca e não deixa nenhum fio de raiz, desfaça a possibilidade de parte de mim voltar a brotar; e desta forma vai estar despindo a minha Alma; continua e envenena toda a terra, torna-a infértil, tira toda a vida que houver nela; caça ao redor, e busca por todas as minhas sementes, faça-as pó e queima, para que não exista mais nada de mim; e vai estar me tornando uma lembrança; segue em busca do restante da minha folhagem, anda pelos caminhos e vai tomar da vizinhança os frutos e as flores provenientes do meu ser, e destrua-os também; e me tornará uma metáfora; volte-se aos altares em que ofertaram do meu perfume, e volte-se aos quartos das moças que têm os frascos do meu perfume, da produção da minha essência enquanto eu tinha vida ali fincada àquela terra; e você poderá me queimar no fogo me tornando denso ou me dissolver na água me tornando tênue, e nem por isto fará com que eu deixe de existir, porque a brisa e os ventos me levarão; volte-se a Ishtar e mira em seu ventre;  está N'ela a minha continuação, estão N'ela as minhas ancestrais; tenta colher do sangue do seu útero, tenta colher do muco da sua vibração ou do coito com o seu consorte, e se lembra que eu renasceria infinitamente” 

quinta-feira, 16 de abril de 2015

sobre as orações, a feitiçaria e os encantamentos

"... e já se dizia que toda a oração bem ou mal direcionada e intencional sobre uma pessoa ou situação, teria os mesmos efeitos que os feitiços muito bem encaminhados; mas que os encantamentos, estes surtiriam efeitos bem mais devastadores sobre a mente e as vontades da alma da pessoa "encantada" ... porque os feitiços, que podem também ser comparados às mais altas formas de maldição, pois se sobrepõem aos verdadeiros desejos do "enfeitiçado", estes amarram, tolhem, embaraçam, cortam ou fecham caminhos, mesmo com o esforço consciente do enfeitiçado, que ainda continua a se manifestar; já os encantamentos para o bem ou para o mal, são uma pior forma de controle mental do que o feitiço, por isto se sobrepõem a toda forma de feitiçaria, justamente porque exercem uma forma de poder que controlam e dopam mentes, assim anulando as ações e os desejos próprios da alma da pessoa "encantada"... como se fosse uma consciência à parte e daí os "encantados" passam a tomar atitudes e caminhos que não são os seus verdadeiros; mesmo os mantras mais singelos, que direcionados na forma de vontades sobre outras pessoas, como uma forma de encantamento, estariam sobrepostos a Consciência Maior e à Mente do "encantado", porque segue a ordem das ações direcionadas e sobrepostas ou impostas de uma pessoa sobre outra pessoa, por isto, segue a ordem dos sentidos de Consciência e energia Inferior"

terça-feira, 31 de março de 2015

e se eu me consumir pelo vislumbre do que conhecemos por amor

" ... e se eu me consumir pelo vislumbre do que conhecemos por amor, que eu me consuma pelo amor que eu permiti brotar do meu peito, mesmo que pelo amor que por ventura eu não tenha vivido plenamente, mesmo que pelo amor não correspondido, não aceito ou não compreendido, mas que eu não me consuma pelo amor abafado dentro do meu peito, pelo amor que eu não reconheci, pelo amor que eu tenha feito calar dentro de outro peito; que eu não experiencie a cegueira de não reconhecer o amor quando brota de outro peito; eu rogo para que eu não me consuma com o remorso das almas que não viveram ou que não se permitiram viver os seus amores de reencontro e de resgate; e que eu me renda à humildade de aceitar e perdoar, sem julgamentos, as almas que engatinham por esta passagem sem conhecer o vislumbre do que conhecemos por amor! que eu consiga alcançar a compaixão para compreender as almas que amaram com amor sofrido, com amor amargo, com amor de dor, com amor de apego... que um dia aquelas almas consigam compreender o egoísmo da forma com que amaram, ou de que se negaram a amar... porque o que fica, não é como dizem, o amor que damos ou que recebemos, mas é sim, o amor que nos permitimos sentir, seja lá em qual forma for, seja do nosso peito ou de outro peito; que eu consiga me doar no despertar das formas ou vislumbres do que conhecemos por amor, por mim e pelas outras almas com quem batemos de frente nos caminhos do tempo... e se eu me consumir, que antes, eu me consuma pelo amor de amar a mim mesmo" 

terça-feira, 21 de outubro de 2014

Imigração Italiana



Imigrantes "no ápice da imigração Italiana no Brasil" posando para fotografia no pátio central da Hospedaria dos Imigrantes, ca. 1890. – "a sensação do corpo expandindo de dentro para fora, como que EU sentindo em MIM toda uma força gigantesca e louca ... de uma estória enraizada de uma família – a minha família – com a sensibilidade desde o comportamento e a personalidade de uma ancestralidade que destacam o afloramento dos sentimentos mais “rústicos” até os sentimentos mais “refinados” de homens e mulheres – os vejo numa idade madura – e vejo ainda, toda a “força rude masculina imbuída num extremo caráter para com a forma de estar para a vida”, enquanto que a “forma da força feminina é completamente entregue em compreensão à forma da força masculina... não numa forma de submissão, mas numa forma de completa cumplicidade ... aflorada numa forma de fidelidade e companheirismo, que vai desde o sexo na cama dentro do casamento e a criação e educação dos filhos, até ao respeito aos mais velhos”, enquanto que senti ainda as pernas pesadas com uma força que as puxava para baixo com a sensação de pés enraizados ao chão ..."

segunda-feira, 22 de setembro de 2014

"aos amores ou paixonites dessas e de outras vidas"

"owww tipo assim... aí vc pira nessas e naquelas paradas de outras vidas... não que não sejam verdade, pois sim, são! em especial, as paradinhas que envolvem os "amores de outras vidas"... ah os amores antigos...mas aí você reencontra aqui "aquela pessoa", ah aquele amor... aí vc vai bater na porta e a pessoa não abre, e vc insiste e bate na porta e a pessoa não abre... então vai ver que a "coisa" ou "questão" é com ela mesmo, é daquela pessoa com ela mesmo, e já não é com vc... mas aí vc fica meio que paranoico naquela paradinha, de que aquele antigo amor beija gostoso e fode legal... rsss sim, "fode" legal !!! rsss mas aí que a diferença está num simples "detalhe"...sim, porque as respostas sempre estão nas entrelinhas, detalhes, dentro da pergunta, dentro da própria questão, ou antes da questão em si... aí se a "energia" "bloqueou" na hora de F****, sim, na hora de F**** rsss é hora dos dois pararem pra ver o que é esta tal "questão"... porque podem ser várias coisas... pode ser uma questão da mina ou do mino, ou dos dois... e se as duas partes param para ver qual é esta questão, isto é mágicko! é muitooo gostoso!... mas se só vc vê e bate na porta do seu antigo amor (atual aqui e antigo de outras), e a pessoa não reage, a pessoa vai caindo fora, a pessoa não quer ver, a pessoa não quer olhar nos olhos... então há um "bloqueio" entre vocês! é uma lógica visão! mas se só você quer encarar e a outra parte não quer nem saber o que é... então este bloqueio é só dela, ou ainda, é de vocês dois... só que "congelou" naquela pessoa, e não em você... compreende a diferença?! é simples! ... aí vc precisa parar e seguir com a tua vida, porque é uma regra e não uma exceção: "que é pra vc aceitar e se curvar"... tipo, aceita que dói menos... tipo assim... pow é isso aí! se não meu, você vai levar porrada do Espiritual, do Universo, da Vida, ou seja lá no que você creia... você vai levar no seu R*** !!! e pior ainda, sem massagem e sem oleozinho! e vai doer mesmo! e vai arregaçar com você, mesmo! sem dó! sem nada de compaixão! ... sem nada daquelas paradinhas de Amor Espiritual... aliás o C******! porque Deus tá nem aí pras suas encrenquinhas e inferninhos de outras vidas... quer nem saber de você e das suas neuroses! ... então vai lá! ... faz o que precisar... faz terapia! faz meditação... trabalha as suas neruroses e os seus vícios! ... e tem tanta mina e um montão de mino pra você "brincar"... porque afinal de contas, ninguem é de ninguém e todo mundo é de todo mundo! nós nascemos e morremos "pelados"... e a maioria das coisas aqui e além tem que se fazer "nú" rsss então pára de frescura! e vai embora ser feliz !"

terça-feira, 16 de setembro de 2014

não carregue os outros !

... não carregar o que eles falaram, as pessoas gostam de criar necessidades e dramas e problemas,e elas fazem... e a gente não carrega...gente não é assim...estar do lado, fazer companhia...é também entender que você tem o teu e a pessoa tem o dela,isso tem que ficar muito claro!pra gente viver bem e viver com respeito,às vezes a gente deixa as pessoas entrar tanto na gente,tanto quanto a gente entra nelas,isso é promiscuidade...a gente precisa definir melhor os limites,aquilo que é meu que eu não quero que ninguém entre,que é uma coisa que eu resolvo comigo...e quando também eu tô entrando numa coisa que é do outro,que eu não tenho que entrar e que eu não tenho necessidade de entrar,e não importa que eu olhe, não importa que eu ache...é o outro...quando essa linha fica clara,e é você que tem que deixá-la clara na cabeça,nasce o respeito...ninguém pega carga de ninguém,embora o comportamento da ajuda continue existindo,porque a troca continua existindo,apenas nós não nos misturamos como se não tivéssemos "pele"...não!nós temos pele, nós temos individualidade, tem a minha e tem a do outro...presta mais atenção nisso!porque se você não prestar, o preço é muito caro...não pague mais!


Luiz Antonio Gasparetto






domingo, 17 de março de 2013

Nostalgia e Depressão – Pelo Espírito de Joanna de Angelis (por Divaldo Franco)

As síndromes de infelicidade cultivada tornam-se estados patológicos mais profundos de nostalgia, que induzem à depressão. O ser humano tem necessidade de auto-expressão, e isso somente é possível quando se sente livre.

Vitimado pela insegurança e pelo arrependimento, torna-se joguete da nostalgia e da depressão, perdendo a liberdade de movimentos, de ação e de aspiração, face ao estado sombrio em que se homizia.

A nostalgia reflete evocações inconscientes, que parecem haver sido ricas de momentos felizes, que não mais se experimentam. Pode proceder de existências transatas do Espírito, que ora as recapitula nos recônditos profundos do ser. lamentando, sem dar-se conta, não mais as fruir; ou de ocorrências da atual.

Toda perda de bens e de dádivas de prazer, de júbilos, que já não retornam, produzem estados nostálgicos. Não obstante, essa apresentação inicial é saudável, porque expressa equilíbrio, oscilar das emoções dentro de parâmetros perfeitamente naturais. Quando porém, se incorpora ao dia-a-dia, gerando tristeza e pessimismo, torna-se distúrbio que se agrava na razão direta em que reincide no comportamento emocional.

A depressão é sempre uma forma patológica do estado nostálgico.


Esse deperecimento emocional, fez-se também corporal, já que se entrelaçam os fenômenos físicos e psicológicos.

A depressão é acompanhada, quase sempre, da perda da fé em si mesmo, nas demais pessoas e em Deus... Os postulados religiosos não conseguem permanecer gerando equilíbrio, porque se esfacelam ante as reações aflitivas do organismo físico. Não se acreditar capaz de reagir ao estado crepuscular, caracteriza a gravidade do transtorno emocional.

Tenha-se em mente um instrumento qualquer. Quando harmonizado, com as peças ajustadas, produz, sendo utilizado com precisão na função que lhe diz respeito. Quando apresenta qualquer irregularidade mecânica, perde a qualidade operacional. Se a deficiência é grave, apresentando-se em alguma peça relevante, para nada mais serve.


Do mesmo modo, a depressão tem a sua repercussão orgânica ou vice-versa. Um equipamento desorganizado não pode produzir como seria de desejar. Assim, o corpo em desajuste leva a estados emocionais irregulares, tanto quanto esses produzem sensações e enarmonias perturbadoras na conduta psicológica.


No seu início, a depressão se apresenta como desinteresse pelas coisas e pessoas que antes tinham sentido existencial, atividades que estimulavam à luta, realizações que eram motivadoras para o sentido da vida.


À medida que se agrava, a alienação faz que o paciente se encontre em um lugar onde não está a sua realidade. Poderá deter-se em qualquer situação sem que participe da ocorrência, olhar distante e a mente sem ação, fixada na própria compaixão, na descrença da recuperação da saúde. Normalmente, porém, a grande maioria de depressivos pode conservar a rotina da vida, embora sob expressivo esforço, acreditando-se incapaz de resistir à situação vexatória, desagradável, por muito tempo.

Num estado saudável, o indivíduo sente-se bem, experimentando também dor, tristeza, nostalgia, ansiedade, já que esse oscilar da normalidade é característica dela mesma. Todavia, quando tais ocorrências produzem infelicidade, apresentando-se como verdadeiras desgraças, eis que a depressão se está fixando, tomando corpo lentamente, em forma de reação ao mundo e a todos os seus elementos.

A doença emocional, desse modo, apresenta-se em ambos os níveis da personalidade humana: corpo e mente.

O som provém do instrumento. O que ao segundo afeta, reflete-se no primeiro, na sua qualidade de exteriorização.


Idéias demoradamente recalcadas, que se negam a externar-se - tristezas, incertezas, medos, ciúmes, ansiedades - contribuem para estados nostálgicos e depressões, que somente podem ser resolvidos, à medida que sejam liberados, deixando a área psicológica em que se refugiam e libertando-a da carga emocional perturbadora.


Toda castração, toda repressão produz efeitos devastadores no comportamento emocional, dando campo à instalação de desordens da personalidade, dentre as quais se destaca a depressão.

É imprescindível, portanto, que o paciente entre em contato com o seu conflito, que o libere, desse modo superando o estado depressivo.

Noutras vezes, a perda dos sentimentos, a fuga para uma aparência indiferente diante das desgraças próprias ou alheias, um falso estoicismo contribuem para que o fechar-se em si mesmo, se transforme em um permanente estado de depressão, por negar-se a amar, embora reclamando da falta de amor dos outros.

Diante de alguém que realmente se interesse pelo seu problema, o paciente pode experimentar uma explosão de lágrimas, todavia, se não estiver interessado profundamente em desembaraçar-se da couraça retentiva, fechando-se outra vez para prosseguir na atitude estóica em que se apraz, negando o mundo e as ocorrências desagradáveis, permanecerá ilhado no transtorno depressivo.

Nem sempre a depressão se expressará de forma autodestrutiva, mas com estado de coração pesado ou preso, disfarçando o esforço que se faz para a rotina cotidiana, ante as correntes que prostram no leito e ali retêm.

Para que se logre prosseguir, é comum ao paciente a adoção de uma atitude de rigidez, de determinação e desinteresse pela sua vida interna, afivelando uma máscara ao rosto, que se apresenta patibular, e podem ser percebidas no corpo essas decisões em forma de rigidez, falta de movimentos harmônicos...

Ainda podemos relacionar como psicogênese de alguns estados depressivos com impulsos suicidas, a conclusão a que o indivíduo chega, considerando-se um fracasso na sua condição, masculina ou feminina, determinando-se por não continuar a existência. A situação se torna mais grave, quando se acerca de uma idade especial, 35 ou 40 anos, um pouco mais, um pouco menos, e lhe parece que não conseguiu o que anelava, não se havendo realizado em tal ou qual área, embora noutras se encontre muito bem. Essa reflexão autopunitiva dá gênese a estado depressivo com indução ao suicídio.

Esse sentimento de fracasso, de impossibilidade de êxito pode, também, originar-se em alguma agressão ou rejeição na infância, por parte do pai ou da mãe, criando uma negação pelo corpo ou por si mesmo, e, quando de causa sexual, perturbando completamente o amadurecimento e a expressão da libido.


Nesse capítulo, anotamos a forte incidência de fenômenos obsessivos, que podem desencadear o processo depressivo, abrindo espaço para o suicídio, ou se fixando, a partir do transtorno psicótico, direcionando o paciente para a etapa trágica da autodestruição.

Seja, porém, qual for a gênese desses distúrbios, é de relevante importância para o enfermo considerar que não é doente, mas que se encontra em fase de doença, trabalhando-se sem autocomiseração, nem autopunição para reencontrar os objetivos da existência. Sem o esforço pessoal, mui dificilmente será encontrada uma fórmula ideal para o reequilíbrio, mesmo que sob a terapia de neurolépticos.

O encontro com a consciência, através de avaliação das possibilidades que se desenham para o ser, no seu processo evolutivo, tem valor primacial, porque liberta-o da fixação da idéia depressiva, da autocompaixão, facultando campo para a renovação mental e a ação construtora.


Sem dúvida, uma bem orientada disciplina de movimentos corporais, revitalizando os anéis e proporcionando estímulos físicos, contribui de forma valiosa para a libertação dos miasmas que intoxicam os centros de força.

Naturalmente, quando o processo se instala - nostalgia que conduz à depressão - a terapia bioenergética (Reich, como também a espírita), a logoterapia (Viktor Frankl), ou conforme se apresentem as síndromes, o concurso do psicoterapeuta especializado, bem como de um grupo de ajuda, se fazem indispensáveis.

A eleição do recurso terapêutico deve ser feita pelo paciente, se dispuser da necessária lucidez para tanto, ou a dos familiares, com melhor juízo, a fim de evitar danos compreensíveis, os quais, ocorrendo, geram mais complexidades e dificuldades de recuperação.

Seja, no entanto, qual for a problemática nessa área, a criação de uma psicosfera saudável em torno do paciente, a mudança de fatores psicossociais no lar e mesmo no ambiente de trabalho constituem valiosos recursos para a reconquista da saúde mental e emocional.

O homem é a medida dos seus esforços e lutas interiores para o autocrescimento, para a aquisição das paisagens emocionais.

terça-feira, 18 de outubro de 2011

E ainda que eu ande pelo Vale da Morte ...

"quão horrível é o despertar para a consciência, da Morte para a Vida, e depois deste despertar a luz virá, porém, o caminho até o final do túnel para se alcançar a luz ... é a verdadeira travessia pela morte ... ou seja, o renascimento, se assemelha em muito com a morte ou a queda ... e esta morte nada tem a ver com a passagem entre morte-vida, e que apesar de não ter relação, ainda assim também poderá ser um estágio vivenciado pela alma no local por onde esta estiver atravessando após a ' passagem morte-vida ' ... ainda como poderá ser vivenciado por todo ou qualquer ser humano em vida, como uma vivência adentrando a sua própria alma e consciência ... e o quão horrível é a passagem pelo vale da morte ... e creia ! ... lá existe todas as coisas das quais você imagina e todas as coisas das quais você dúvida, além das que você se quer supõe existir ... elas existem, mesmo que você nunca atravesse o vale da morte ... até porque não são todas as almas que passam ou precisem passar por lá ... o quão horrível é a travessia pelo vale da morte" ...

terça-feira, 7 de julho de 2009

Michael Joseph Jackson

E como não poderia passar batido... Muitas das pessoas ao redor do "mundo", em "luto", não foram fãs assíduas de Michael Joseph Jackson, porém, esta é a "energia" que move o mundo há quase duas semanas (07/07/2009)! E a mídia aponta com o seu real e gigantesco poder!
Eu não fui fã! Você foi fã? Ah, muitos se tornaram, sem dúvida, nos últimos dias que seguiram. Quando muito estive ali desde a infância a acompanhar alguns vídeo-clips e gravações.
Há quem descorde - e muitos descordam - do ser humano de elevada e extrema "luz" que foi... é... o homem Michael Joseph Jackson. Um ser humano comum transformado num mito, uma lenda... E, realmente, não mais que um ser humano comum, que foi transformado e exacerbado em algo "além". E mentiras ou verdades, dúvidas, polêmicas, questões não esclarecidas, boatos, fizeram dele um "Deus", alguém diferente de nós.
Sua "energia vital", sua fortuna, seu trabalho, seu talento, sua vida, sua família, seu espírito, seu "eu", sua identidade, seu íntimo, foram todos explorados, extorquidos! E isto, só fazem, apenas fazem, com pessoas de uma elevada e extrema "luz"! Porque ninguém "suga" nada de ninguém que não tenha sobre si um bem, alguma "riqueza" que possa ser literalmente tomada! Porém, isto não significa que Michael Joseph Jackson não foi um homem realizado, feliz! Ele foi! Claro que ele foi feliz! Realizado! Um verdadeiro Deus?! Não mais ou menos que eu e você.
E, incrível perceber como "pessoas" - daqui e além... reencarnados, anjos, demônios, espíritos de luz ou obssessores - juntam-se, seguindo um outro ser de "luz", seja para brilhar com ela, fazer parte dela ou sugar dela.
E como provar a sua verdade diante de uma grande acusação que apontam para o seu rosto? Porque provas sempre existem, para encriminar e para livrar. E será a sua palavra contra outras palavras. Será a sua prova contra outras provas. E talvez você seja mesmo culpado, e você sabe disso, ah, você sabe disso e eu também sei! Mas você não cometeu isto! Mas talvez você tenha tido motivos para ser realmente o culpado ou talvez você seja um ser sem nenhuma índole, sem nenhum caráter e mereça mesmo ser apedrejado, morrer e apodrecer diante dos olhos que te julgarão, condenarão, punirão e executarão a sua sentença!
E outras poucas pessoas se lembraram de olhar para os seus olhos... Porque estes jamais mentiram, eles nunca mentiram, nem que você quisesse ou tenha tentado mentir através deles, eles não mentiram!

Nos teus olhos habita a tua verdade! E ainda que aos olhos do mundo você tenha que suportar terríveis dores, sejam físicas, emocionais ou psíquicas. Suporte-as! Diante dos olhos do mundo você deverá - sempre - suportar as tuas dores todas e por maiores que sejam você deve estar lá, porque se não, além de "sugado" você será também "devorado", você será "destruído" e, provavelmente, nem pó vai restar de você. Mas se você estiver lá, se você estiver lá, sempre estiver lá, aos olhos do mundo e aos olhos dos "teus" você sempre estará lá e, mesmo que em cinzas, a tua poeira, será a tua glória e de alguma forma sempre será a tua maior verdade.
E qual é o teu lugar neste mundo? Não importa se o teu destino e sonhos se cumprirão sobre os flashs de um palco ou sob o anonimato de um escritório...
Onde houver amor, eu estarei lá...Apenas chame meu nome e eu estarei lá...E eu estarei lá para te confortar,Para construir meu mundo de sonhos ao seu redor,Eu estarei lá para te proteger,Com um amor altruísta eu respeitarei você!Apenas chame meu nome e eu estarei lá...Eu estarei lá, eu estarei lá,Apenas chame meu nome, eu estarei lá...Sempre que você precisar de mim, eu estarei lá...


Michael Joseph Jackson,